Doenças - TVP - Trombose Venosa Profunda


O conteúdo desse texto visa simplificar o tema para o melhor entendimento da população em geral.


A Trombose Venosa Profunda (TVP), é uma doença grave, de início súbito; na sua fase inicial pode evoluir com sintomas exuberantes ou até mesmo com pouco ou nenhum sintoma! Pode evoluir com complicações sérias e até mesmo com risco de morte para o paciente.
A TVP é causada pela formação anormal de um coágulo sanguíneo no interior das veias - que são os vasos responsáveis por levar o sangue de volta ao coração. As veias mais comumente acometidas são as dos membros inferiores (cerca de 90% dos casos).
Os sintomas mais comuns são a inchação e a dor, na perna ou coxa, de início súbito e intenso, na maioria dos casos. Importante lembrar que em algumas situações a TVP pode se instalar com poucos sintomas, dificultando bastante o seu diagnóstico clínico.
É uma doença que acomete mais freqüentemente pessoas com alguma condição que limite a sua movimentação ou que por conta de alguma doença fique longos períodos imobilizados.
Fatores de risco que podem aumentar o risco de trombose:

- Tumores malignos;
- Insuficiência cardíaca;
- Obesidade mórbida;
- Tabagismo;
- Reposição hormonal;
- Anticoncepcional;
- Politraumatismo severo;
- Infecções graves que demandem internação hospitalar;
- Gravidez, principalmente a fase final e o pós-parto imediato;
- Idade avançada;
- Cirurgias de médio e grande porte.

Importante comentar algumas situações do nosso cotidiano, e que são motivo de dúvidas constantemente:


• Viajar pode causar trombose?

A resposta é sim! Porém apenas em algumas situações especiais, principalmente quando for uma viagem prolongada que leve a um grande período de imobilidade; independente se for de ônibus, carro ou avião. A regra nesses casos é muito simples, sempre procurar um médico especialista - Angiologista; ele vai te orientar o uso de meia elástica de compressão graduada adequada, vai te orientar a promover movimentação ativa das pernas, e em alguns casos associar ao uso de flebotônicos - remédios que melhoram a circulação.


• A Trombose pode ser genética?
Sim, um defeito genético na fabricação de alguns fatores da coagulação, pode aumentar a predisposição de algumas pessoas a ter trombose. Nós chamamos essa condição de " Trombofilia". Esses pacientes com diagnóstico de Trombofilia, costumam evoluir com vários episódios de TVP e acabam evoluindo para o tratamento contínuo com anticoagulantes.


• Varizes podem causar Trombose?

Sim, porém MUITA ATENÇÃO!!! Em casos de pacientes jovens, sem outras doenças, ou condições que levem a um grande período de imobilização - TER VARIZES NÃO AUMENTA O RISCO DE TER TVP!!! Agora, quando falamos de pacientes com doenças graves, que limitem sua mobilidade; ou aqueles que sofreram algum trauma grande ou passaram por cirurgia de grande porte; mulheres no período gestacional; pacientes com Trombofilia - alteração genética; Nesses casos sim, a presença de varizes aumenta o risco de ter TVP.

Na fase aguda (início), a TVP pode ser de extrema gravidade, principalmente quando evolui com quadro de embolia pulmonar, que muitas vezes é fatal.

A Embolia pulmonar é causada pela fragmentação dos coágulos e a migração destes até os pulmões, entupindo as artérias pulmonares e gerando graves problemas cardíacos e pulmonares.
Na fase crônica, ao longo dos meses e anos, os principais problemas são causados pela inflamação da parede das veias que, ao cicatrizarem, podem levar a um funcionamento deficiente destes vasos sangüíneos. Essa má circulação que se estabelece pode levar ao que chamamos de Síndrome Pós-Trombótica, e pode ocasionar com frequência dor, inchação e sensação de peso nas pernas; pigmentação escura da pele, grandes varizes, eczemas e até úlceras crônicas na perna. Esta complicação leva a imensos problemas socio-econômicos por ser de tratamento caro, prolongado e extremamente penoso em suas repercussões sociais.

A TVP é, muitas vezes, assintomática. O diagnóstico clínico é difícil. O exame mais utilizado para o diagnóstico da TVP é o Eco Color Doppler, que é um exame de ultassom, e que consegue confirmar o diagnóstico em mais de 90% dos casos.

O tratamento é feito com substâncias anticoagulantes (impedem a formação do trombo e a evolução da trombose) ou fibrinolíticos (destroem o trombo). Mais modernamente, e em situações selecionadas, o tratamento da TVP pode ser feito na própria residência do paciente, usando-se as heparinas de baixo peso molecular e anticoagulantes orais.

O uso da meia elástica é altamente recomendado, desde a fase inicial da doença.



voltar